Info

As desvantagens das crianças no esporte


Segundo o Center for Kids First in Sports, 30 a 40 milhões de crianças nos Estados Unidos competem em atividades esportivas organizadas. Os benefícios da participação incluem aumento da saúde física e mental, competição saudável entre colegas e o sentimento de pertencimento adquirido por fazer parte de uma equipe. Apesar desses argumentos válidos para crianças que praticam esportes, há várias desvantagens que devem ser consideradas. Embora a recomendação geral não seja evitar a participação, a conscientização pode ajudar a evitar resultados indesejáveis.

Lesão física

Segundo o Centro Nacional de Segurança Esportiva, mais de 3 milhões de crianças menores de 14 anos sofrem algum tipo de lesão como resultado do esporte. Isso pode ocorrer como resultado da prática ou de um evento competitivo. Ossos quebrados podem resultar do impacto direto de uma bola ou queda durante a competição. Lesões como lágrimas do ligamento cruzado anterior (LCA) ocorrem cada vez mais em atletas jovens devido aos rigores da prática e das competições. Esportes de movimento repetitivo, como natação, podem causar lesões nos músculos ou tendões devido ao uso excessivo de grupos ou articulações musculares específicas durante o treinamento.

Comportamento antidesportivo

O comportamento antidesportivo é modelado em uma variedade de situações esportivas. Tanto na prática quanto em eventos competitivos, as crianças são expostas a outras crianças que podem exibir comportamento indesejável. Exemplos incluem gritar, xingar ou violência em resposta à raiva ou raiva de um árbitro ou outro jogador. Além disso, as crianças podem testemunhar os pais envolvidos nesses comportamentos. As crianças aprendem comportamentos vendo outra pessoa concluir a mesma atividade e, portanto, testemunhar esses comportamentos pode levar a criança a imitá-los em situações semelhantes. Converse com as crianças sobre o comportamento apropriado durante os treinos e jogos e sobre como lidar com a raiva de maneira aceitável, como respirar fundo algumas vezes para relaxar. Qualquer comportamento indesejável testemunhado por outros jogadores ou pais deve ser discutido após o evento. Peça às crianças que dêem um exemplo de como esse indivíduo em particular poderia ter lidado melhor com a situação. Isso lhes dá um exemplo de comportamento adequado, caso eles se encontrem em uma circunstância semelhante.

Compromisso com horário

A participação no esporte exige um comprometimento significativo do tempo das crianças. Práticas, viagens de e para competições e os próprios eventos levam tempo para as atividades diárias das crianças. Embora o exercício seja importante, essas atividades não devem tirar o sono, as refeições ou a escola. Encontre um equilíbrio dessas atividades e evite colocar as crianças em muitos esportes e comprometer demais o tempo delas. Incentive as crianças a estudar durante o tempo de inatividade, como viagens ou entre eventos ou jogos, para garantir que a escola continue sendo uma prioridade.

Pressão Indevida

Os atletas jovens podem sentir pressão indevida dos pais, treinadores ou outros jogadores para competir em esportes que não estão interessados ​​em praticar. Além disso, as crianças podem exercer uma pressão excessiva sobre o desempenho em um nível em que não se sintam confortáveis. A participação no esporte pode levar a um nível mais alto de estresse diário que afeta outros aspectos de suas vidas, como sono ou escola. Ajude a criança a falar sobre suas próprias expectativas, bem como as expectativas dos outros, inclusive de você. Incentive a participação e a dedicação, mas ouça as crianças se sentirem que a pressão não é algo que possam suportar. Procure a ajuda de um psicólogo esportivo treinado para ajudar os atletas a lidar com esses tipos de pressão de maneira saudável e produtiva.